Como negociar Dívidas no Cartão de Crédito

Como negociar Dívidas no Cartão de Crédito

Entre diversos tipos de dívidas que podemos ter uma das mais nocivas para a vida financeira certamente é a dívida com cartão de crédito, que quando se deixa de pagar a fatura (fazendo apenas o pagamento mínimo) chega a ter juros de até 18% ao mês sobre o valor devido. Com juros assim rapidamente uma dívida foge ao controle.

O primeiro passo importante é assumir que gastou mais do que deveria e que está tendo problemas para pagar, isso evita que se deixe a dívida rolar mês após mês e crescendo cada vez mais devido aos juros do cartão de crédito.

Mais artigos sobre como administrar seu cartão de crédito

Passos para a negociação com o cartão de crédito

Antes de entrar em contato com seu banco ou operadora do cartão de crédito é fundamental ter uma noção exata de como está sua situação financeira, deve fazer um levantamento detalhado de suas dívidas e também de seu ganhos.

Dívidas no Cartão de Crédito

Para fazer este levantamento o correto é utilizar uma planilha (ou anotar em uma agenda se preferir) todas as entradas e saídas de dinheiro, desta forma terá uma visão clara de quanto de sua renda pode utilizar para pagar o acordo com seu cartão de crédito.

Agora que já sabe o quanto pode pagar é hora de entrar em contato com o banco para negociar sua dívida. O ideal seria poder fazer o pagamento a vista, caso não tenha como o fazer negocie até chegar a um valor dentro de suas possibilidades.

Caso tenha dívida com mais de um cartão de crédito poderá também optar por fazer um empréstimo (com juros menores do que os do cartão), negociar suas dívidas com abatimento para pagamento a vista e pagar as parcelas do empréstimo, isso facilita não apenas para reduzir a taxa de juros mas também para centralizar a dívida em um só local.

Caso não esteja conseguindo entrar em acordo com o banco ou em que o banco esteja cobrando juros abusivos ainda há como último recurso entrar com uma ação judicial para fazer o acordo em juízo, funciona, porém é um processo demorado e desgastante, em alguns casos vale mais a pena fazer o acordo diretamente no banco.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *